Amazônia Legal

Maranhão sorteia até R$ 10 mil para quem toma 2ª dose de vacina contra Covid

Maranhão está distribuindo no total, 700 prêmios de R$ 1 mil, 200 de R$ 5 mil e 100 prêmios de R$ 10 mil.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

segunda-feira, 28/06/2021 - 01:58 • Atualizado 02:02
Maranhão sorteia até R$ 10 mil para quem toma 2ª dose de vacina contra Covid
Maranhão sorteia prêmios em dinheiro para quem toma segunda dose - Foto: Divulgação

O Governo do Maranhão lançou na última sexta-feira (25) o programa Dose Premiada, com prêmios de até R$ 10 mil para estimular as pessoas a tomarem a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

O governador Flávio Dino (PSB) acompanhou pessoalmente o sorteio e destacou que a iniciativa é para incentivar as pessoas a tomarem a segunda dose da vacina,  única maneira de garantir a eficácia da imunização. No sorteio, o  governador Flávio Dino  falou:

“A ideia é ter estímulo, incentivo, motivação, animação para que com isso todos e todas, além de se sentirem valorizados no exercício dos seus direitos, lembrem de tomar a segunda dose da vacina. Vacina com eficácia plena: duas doses. Eu peço que todos que estão nos acompanhando, além de se interessar pelo sorteio, lembrem as pessoas das suas famílias: compareceu na primeira dose, vá na data marcada para tomar a segunda dose. Tomou a segunda dose? Automaticamente está concorrendo ao programa Dose Premiada do Governo do Maranhão”

Leia mais sobre outras notícias da Amazônia Legal

Para participar dos sorteios é preciso apenas tomar as duas doses da vacina. A participação é automática e nem é preciso se cadastrar para concorrer. No total, são 700 prêmios de R$ 1 mil, 200 de R$ 5 mil e 100 prêmios de R$ 10 mil. O primeiro sorteio foi transmitido ao vivo nas redes sociais e a filmagem está disponível no canal do Governo do Maranhão no YouTube.

Maranhão sorteia R$ 10 mil para quem tomar segunda dose da vacina – Foto: Divulgação

No Maranhão e no Brasil existe abandono vacinal

Um levantamento do Ministério da Saúde divulgado aponta que mais de  1,5 milhão de pessoas que tomaram a primeira dose não retornaram para a administração do reforço. O abandono vacinal é uma das principais preocupações do Ministério, que diz estudar com secretários municipais e estaduais da saúde novas estratégias para identificar quem não voltou para tomar a segunda dose e orientá-las a completar a imunização.

Cerca de 6% dos brasileiros que tomaram a primeira dose da vacina contra a covid-19 não receberam a segunda e, portanto, não podem ser considerados imunizados contra o coronavírus. A falta de doses nos postos de saúde, falhas na própria estratégia brasileira e até fake news sobre os imunizantes são algumas das causas apontadas por especialistas para o abandono vacinal no país.