Amazônia Legal

Comboio de balsas destrói barco e trapiche em rio, arrastando tudo na passagem. Vídeo

Imagens impressionantes mostram que o comboio passou tão perto da margem do rio que é possível observar um açaizeiro sendo arrancado.

Liebe Schmidt

quinta-feira, 22/07/2021 - 18:21 • Atualizado 23/07/2021 - 12:49
Comboio de balsas destrói barco e trapiche em rio, arrastando tudo na passagem. Vídeo
Empresa Silnave Navegação em Macapá - Foto: divulgação

Um comboio de balsas causou um acidente, quando, em sua passagem por determinado trecho do Rio Matapi, destruiu um barco e um trapiche ao passar rente à margem. O acidente aconteceu na quarta-feira (21), no município de Santana, região metropolitana de Macapá. A cena foi registrada por ribeirinhos e por uma pessoa que estava em uma das balsas do comboio.

Durante o vídeo, mostrado nesta reportagem, uma moradora narra, com bastante indignação, o momento em que o comboio passa por cima do barco e destrói um trapiche coberto. Ela afirma, nas filmagens, que o barco é do pai. Veja o vídeo:

“Um bando de irresponsáveis. Quebraram o barco do meu pai, quebraram o trapiche todinho. Vão ter que pagar, vão ter que arcar com os custos. Balsa da Silnave, tá acostumada a quebrar ponta aqui”, declarou a mulher.

As imagens impressionantes mostram que o comboio passou tão perto da margem do rio que é possivel observar um açaizeiro inteiro sendo arrancado. Também é possível identificar o nome da empresa proprietária das balsas, a Silnave.

A moradora da região relata, durante o vídeo, que não é a primeira vez que o problema ocorre e que, além da Silnave, outra empresa de transporte de cargas, que também tem porto no Rio Matapi, a Nortelog, também é responsável por prejuízos e danos materiais aos moradores da região.

“Quebraram um porto ali, a Nortelog. Não quiseram pagar. Agora a Silnave. Quebraram um barco todo, tá aqui, olha. O barco do meu pai está todo quebrado. Barco que custa R$ 20 mil, com motor e tudo”, relatou a mulher.

Outro vídeo foi feito por alguém que estava na primeira balsa do comboio. A imagem mostra o momento exato do impacto. Veja as imagens:

Em nota, a Silnave Navegação explicou que na chegada de um comboio – formado por um empurrador (João Gabriel) e duas balsas – houve uma falha mecânica no motor que ocasionou uma pane elétrica, o que levou ao acidente. Mas a empresa alegou que vai pagar os prejuízos aos ribeirinhos.

“Houve uma falha mecânica no motor, ocasionada por uma pane elétrica. O mesmo ficou à deriva por alguns instantes, até que outro empurrador viesse em seu socorro, ajudando o comboio a manobrar para atracação no porto da empresa. Posteriormente, a equipe de máquinas E/M João Gabriel solucionou o problema no motor. Durante o tempo em que o motor estava desligado, o comboio ficou à deriva e acabou ocasionando danos em algumas estruturas de madeira localizadas às margens do Rio Matapi”, narra o trecho da nota.

A empresa também esclareceu que o acidente não feriu ninguém. Sobre os prejuízos materiais, a Silnave afirmou que vai conversar com as pessoas prejudicadas e elaborar um plano de ressarcimento.

Fonte: com informações de SelesNafes.com