Covid-19

NO VERMELHO – Pesquisa mostra que municípios estão em alerta com vacinas e ‘kit intubação’

A possibilidade da falta do “kit intubação” até o final de abril ainda é uma preocupação para 641 Municípios, segundo pesquisa da CNM.

Por Marcos Gomes - Rondônia Já

sexta-feira, 30/04/2021 - 20:09
NO VERMELHO – Pesquisa mostra que municípios estão em alerta com vacinas e ‘kit intubação’

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) realizou e divulgou nesta sexta-feira (30) a nova edição de uma pesquisa ampla e bem detalhada sobre o panorama da imunização dos brasileiros em relação ao enfrentamento da Covid-19 e o resultado é assombroso e bastante negativo.

A pesquisa divulga que 869 municípios ficaram sem vacina para aplicação da segunda dose no prazo estipulado dentro dos procedimentos do informe do imunizante e a oferta da primeira dose ao grupo prioritário faltou para 673 outros municipios.

A CNM realizou a sua pesquisa em 2.831 municípios de todos os Estados entre os dias 26 e 29 de abril.

SEM KIT INTUBAÇÃO

O alerta já havia sido dado no final de março quando diversos municípios, incluindo os de Rondônia, avisaram que o estoque da medicação que faz parte do kit intubação iria acabar se o Ministério da Saúde não tomasse as devidas providências. Só que devido a uma política lenta e tardia, com o aumento de casos em todo o país, muitas farmacêuticas se sobrecarregaram de pedidos de muitos países dessa medicação específica.

A pesquisa da CNM emendou com um alerta do estudo, apontando ao risco iminente de faltar medicamentos do chamado “kit intubação”.

Até o final de abril esse estudo mostra que essa ainda é uma preocupação para 641 Municípios. Quando a confederação havia feito a sua primeira edição da pesquisa, realizada no período de 23 a 25 de março, o número era mais alto, 1.316 prefeitos foram categóricos ao afirmarem que estavam enfrentando esse risco.

Porém, vale ressaltar, que apesar da queda desse número a situação ainda é crítica diante dos impactos que pode trazer ao tratamento das pessoas em estado grave.

Por incrível que pareça, apesar de estar sendo muito divulgada, ainda existe a possibilidade da falta de oxigênio para 223 Municípios. Em março, de acordo com a CNM, esse número era 709.

E AÍ MINISTÉRIO DA SAÚDE?

A amplitude da pesquisa em relação aos temas sobre a Covid-19 nos municípios brasileiros tem sido levados ao governo federal pela CNM em reuniões com o Ministério da Saúde.

Consta que na semana passada, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, já com acesso aos resultados dessa mostra, foi obrigado a informar as ações da pasta para garantir o abastecimento do “kit intubação”. Um dos recursos mais viáveis, segundo ele, para atender essa demanda é o pregão internacional sem fixação de preços e doações por parte da iniciativa privada.

Em relação a falta de imunizantes para a segunda dose, o Ministério informou que adotará uma logística emergencial para normalizar a situação, entre elas o envio diário de parte de doses aos Municípios com falta do imunizante para completar o esquema vacinal.

As doses antecipadas serão descontadas da remessa semanal destes Municípios. Lembrando que essa semana além das 100 mil doses da CoronaVac/Butantan que ainda tinha estoque, o Ministério da Saúde recebeu de forma antecipada mais 600 mil doses do instituto paulista.

Em Rondônia um lote já com parte das 100 mil doses da CoronaVac chegou ontem, em uma quantidade inexpressiva para atender todos os municípios – 800.

No início da semana que vem deve chegar as que o Instituto Butantan antecipou, mas deve chegar um pouco mais que de quinta-feira, mas não o suficiente.

E OS REPASSES?

Ao finalizar a pesquisa essa semana foi apurado em seu levantamento que os recursos financeiros para a Saúde (fundo a fundo) de 2021 eram maiores do que os repassados pelo governo nos primeiros quatro meses do ano passado.

O resultado é que 57% dos Municípios afirmaram que houve redução nos repasses. Já 17% apontaram um aumento e 26% não souberam responder.