Covid-19

Prefeito de Porto Velho realiza audiência para falar sobre vacinação aos jornalistas

Por causa do Plano Nacional de Vacinação, no momento não é possível incluir a categoria, mas, os profissionais já podem se cadastrar junto ao Sindicato. A lei contempla também professores e demais profissionais da educação, garis, farmacêuticos e outras categorias.

Marcelo Winter

quarta-feira, 12/05/2021 - 21:41 • Atualizado 15/06/2021 - 00:45
Prefeito de Porto Velho realiza audiência para falar sobre vacinação aos jornalistas
Hildon Chaves, vereadores e Sinjor - Foto: Divulgação

O prefeito da capital  Dr Hildon Chaves (PSDB) promoveu audiência com os interessados na questão para estabelecer a forma com que será cumprida a lei municipal que colocou os profissionais de imprensa no grupo prioritário da vacinação contra a Covid em Porto Velho

A audiência contou com a participação dos vereadores  Everaldo Fogaça (Republicanos), autor da emenda que incluiu os jornalistas na lei que definiu os grupos prioritários; Edwilson Negreiros (PSB), presidente da Câmara de Porto Velho; vereador Gilber Mercês (PODE); o presidente do Sindicato dos Jornalistas de Rondônia (SINJOR),  Antônio Cavalcante; além de vários jornalistas da capital.

Ao abrir a reunião o prefeito ressaltou o trabalho da imprensa, particularmente neste momento crítico da pandemia,  onde é fundamental a difusão de informações com isenção e credibilidade, “papel exercido com maestria por nossos profissionais”.

MORTES ENTRE A CATEGORIA
Por outro lado, Chaves destacou o alto índice de mortalidade entre os jornalistas de Porto Velho,  causado pela Covid 19, muitas vezes superior à média da população.  Ele ainda fez reverência aos jornalistas que  morreram ao longo da pandemia em nome de Cléo Subtil, que fazia parte de seu staff de comunicação. Outros grandes profissionais do jornalismo rondoniense também foram vítimas da doença, como os apresentadores Marcelo Bennesby e Francisco Mathias, os repórteres Anísio Gorayeb e Luiz Júnior e o colunista Gessi Taborda . Todos em curto espaço de tempo.

No entanto,  o prefeito explicou que terá de encontrar formas legais para fazer valer a iniciativa municipal, posto que a administração deve seguir o Plano Nacional de Vacinação,  no qual os jornalistas não estão contemplados como grupo prioritário.  “Mas iremos nos empenhar ao máximo para fazer valer esta importante iniciativa”.

O autor da emenda, Everaldo Fogaça agradeceu a franqueza e transparência do prefeito, assim como manifestou sua confiança de que será encontrada forma legítima de fazer a imunização dos profissionais de imprensa o mais breve possivel, para que eles possam continuar realizando sua missão com mais segurança e serenidade, “assim como para que os jornalistas não sejam mais obrigados a produzir reportagens relatando mortes dos próprios colegas de oficio”.

Por sua vez, o presidente do SINJOR agradeceu o empenho das autoridades em atender esta demanda da categoria e orientou os jornalistas a procurar o sindicato para atualização cadastral a fim de ficarem aptos se ter direito ao que a lei determina no momento em que a vacinação for realizada pela saúde pública.

OUTROS GRUPOS CONTEMPLADOS PELA LEI
A lei, aprovada na segunda-feira (10) pela Câmara Municipal de Porto Velho inclui, além dos jornalistas,  professores e demais profissionais da educação, Conselho Tutelar e abrigos, garis,  farmacêuticos e outras categorias.

Fonte: Vereador Everaldo Fogaça