Covid-19

Vacinação de maiores de 12 anos ainda depende do aval do MS, mas Cacoal (RO) já iniciou a imunização do grupo

A Anvisa autorizou o uso da vacina Pfizer, contra a Covid-19, em adolescentes de 12 a 15 anos, mas a vacinação desse grupo depende também de autorização do Ministério da Saúde.

Liebe Schmidt

segunda-feira, 14/06/2021 - 20:54 • Atualizado 16/06/2021 - 00:34
Vacinação de maiores de 12 anos ainda depende do aval do MS, mas Cacoal (RO) já iniciou a imunização do grupo
Vacinação de adolescente acima de 12 anos em Cacoal (RO) - Foto: divulgação / Prefeitura de Cacoal

 A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, na sexta-feira (11), o uso da vacina Pfizer/BioNTech (Comirnaty) contra a Covid-19 em adolescentes com idade entre 12 a 15 anos, no Brasil. Essa vacina é a única, atualmente, que pode ser aplicadas em menores de 18 anos, no Brasil, contra o novo coronavírus.

Segundo a agência, a medida foi aprovada depois que o fabricante apresentou estudos, desenvolvidos fora do País, que indicaram a segurança e eficácia da vacina para este público. O pedido de inclusão dessa faixa etária, na bula, foi feito pela Pfizer no dia 13 de maio desse ano.

Em 31 de março, o laboratório anunciou que a vacina teve 100% de eficácia em adolescentes com idades entre 12 e 15 anos. A capacidade de induzir resposta imune no organismo (imunogenicidade) foi quase duas vezes maior nessa faixa etária do que nos indivíduos de 16 a 25 anos.

Vacina Comirnaty da Pfizer

Vacina Comirnaty da Pfizer – Foto: Tiziana FABI / AFP

Autorização do Ministério da Saúde

Quanto à perspectiva de vacinação da faixa etária de 12 a 15 anos, o MS respondeu, através de nota, que a ampliação do benefício para adolescentes acima de 12 anos, com o imunizante da Pfizer, será debatida na Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmissíveis.

A pasta afirmou também que, a prioridade é vacinar todos os grupos prioritários elencados no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 e imunizar a toda a população acima de 18 anos.

Vacinação na cidade de Cacoal, Rondônia

Segundo a assessoria de comunicação da prefeitura de Cacoal (RO), esta cidade de Rondônia começou, na segunda-feira (14), a vacinar contra a Covid-19 adolescentes com mais de 12 anos que possuam comorbidades. O município é o primeiro, do país, a imunizar moradores dessa faixa etária. Até o momento, o Ministério da Saúde não se pronunciou, efetivamente quanto à liberação do imunizante para maiores de 12 anos, com ou sem comorbidades.

Vacinação de adolescentes maiores de 12 anos em Cacoal

Vacinação de adolescentes maiores de 12 anos em Cacoal (RO) – Foto: divulgação/Prefeitura de Cacoal

Segundo a prefeitura de Cacoal, os atendimentos tiveram início ás 8h no Centro de Reabilitação Neurológica Infantil de Cacoal (Cernic) e foram realizados durante toda a manhã, com a vacina Pfizer. Foram vacinadas cerca de 350 crianças com comorbidades, doenças crônicas e deficiência psicomotora.

Vacinação de adolescentes em outros países

No dia 09 de maio, o Uruguai iniciou a vacinação de adolescentes na faixa etária de 12 a 17 anos, tornando-se o primeiro país latino-americano a imunizar esse grupo.

O Chile também autorizou a imunização de indivíduos entre 12 e 16 anos, com a Pfizer, mas a campanha iniciará em 20 de junho, segundo o Ministro da Saúde.

O uso da vacina Pfizer, em adolescentes entre 12 e 15 anos, é permitido nos Estados Unidos desde 10 de maio, quando ocorreu a aprovação da  Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA).

Na Europa, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) liberou a aplicação do imunizante em maiores de 12 anos, após a farmacêutica apresentar um estudo com cerca de 2.000 adolescentes, cujo resultado demonstrou segurança e eficácia da vacina.

Testes em outras faixas etárias

No dia 08 de maio, a Pfizer/BioNTech anunciou avanços nos testes da vacina contra a Covid-19 em crianças de cinco a 11 anos. Segundo o laboratório, a pesquisa avançou da fase um para a dois, de um total de três fases. Testes da fase um estão em andamento. em crianças de seis meses a cinco anos.

A empresa afirmou que o estudo envolverá 4.500 crianças de seis meses a 11 anos nos Estados Unidos, Finlândia, Polônia e Espanha. A Pfizer ainda considera avaliar, posteriormente, a vacinação em crianças com menos de seis meses.