Covid-19

Rondônia confirma sete casos de variante Delta da Covid-19 em seis municípios

Secretário de Saúde de Rondônia, Fernando Máximo, confirmou a notícia em post nas redes sociais.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

segunda-feira, 06/09/2021 - 15:50
Rondônia confirma sete casos de variante Delta da Covid-19 em seis municípios
Fernando Máximo, secretário de Saúde/RO - Foto: Reprodução Facebook

Em vídeo postado no Facebook, o secretário estadual de Saúde de Rondônia, Fernando Máximo, confirmou sete casos de variante Delta do coronavírus no começo da tarde desta segunda-feira (6).

A Secretaria Estadual de Saúde de Rondônia (Sesau/RO) está aguardando o relatório final da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) com maiores detalhes.

As medidas que estão sendo adotadas é a vacinação nos municípios e a manutenção das barreiras, uma delas, rodoviária, é no município de Vilhena, no sul de Rondônia e divisa do estado com Mato Grosso. A outra é no Aeroporto Ingernacional Jorge Teixeira, em Porto Velho.

VEJA O VÍDEO:

A Variante Delta

A variante delta, originária da Índia, já foi identificada em pelo menos 181 municípios brasileiros.
Embora a variante gama ainda seja a mais predominante no país, a delta, identificada há três meses, segue ganhando terreno.

Segundo a Rede Genômica da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), a delta já é a variante mais encontrada nas regiões Sul e Sudeste, sendo predominante em São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Segundo dados recentes da cidade de São Paulo, a variante delta já está presente em 69,7% das amostras identificadas. No Rio de Janeiro, ela já é a responsável por mais de 80% dos casos de covid-19.

Pessoas infectadas com a delta não apresentam tanta tosse, falta de ar ou perda de paladar e olfato, como é mais comum com a cepa original do coronavírus.

De acordo com o professor Tim Spector, que dirige o estudo Zoe Covid Symptom, no Reino Unido, os sintomas mais comuns da delta são:

  • Dores de cabeça
  • Dor de garganta
  • Coriza (nariz escorrendo)
  • Febre

Mas aí tem um problema: esse quadro pode ser confundido facilmente com um resfriado comum, o que acaba levando muitas pessoas a não procurar atendimento e à possibilidade de contaminar outras sem saber que estão com covid.

É importante fazer os testes de detecção para estabelecer o diagnóstico correto. “As pessoas podem pensar que acabaram de pegar algum tipo de resfriado sazonal e ainda irem a festas. Elas podem espalhar o vírus para outras seis pessoas. Achamos que isso está alimentando grande parte do problema”, diz Spector.