Cultura

O dia em que Renato Russo levou uma chinelada no rosto em Belém do Pará

Renato Russo levou chinelada na cara durante apresentação do Legião Urbana em Belém do Pará em 1987.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

domingo, 06/06/2021 - 15:00 • Atualizado 10/06/2021 - 03:05
O dia em que Renato Russo levou uma chinelada no rosto em Belém do Pará
Ilustração de Renato Russo - Fonte: artenopapelonline.com.br

Renato Russo, líder do Legião Urbana, nem sequer imaginava o que estava por vir, quando se apresentou com a banda em Belém do Pará, no dia 21 de fevereiro de 1987 no Ginásio Superior de Educação Física, patrocinado pela Rádio e TV Liberal (afiliada da Globo em Belém/PA).

Era tanta gente que muitos ficaram de fora do Ginásio Público da capital. A lotação de 7 mil pessoas foi em muito ultrapassada. Dentro havia cerca de 12 mil pessoas. Não houve show de abertura com outra banda. Quando as luzes apagaram, o público ficou em frenesi.

O grupo havia lançado há sete meses o ábum “Dois”, considerado pela revista especializada, Rolling Stone, um dos 100 maiores discos da música brasileira. O álbum conseguiu emplacar uma série de grandes sucessos, como “Tempo Perdido”, “Eduardo e Mônica”, “Quase sem querer”, mas, o maior de todos os hits do disco é a faixa “Índios”, com viés ambiental.

Na apresentação, a banda foi tocando uma música atrás da outra com o público cantando todas elas em coro. No meio do show, Renato Russo escolheu “Índios” para cantar em homenagem à Belém do Pará.

Mal começaram os primeiros acordes e parte considerável do público começou à manifestar revolta pela escolha da música, como se ao invés de uma homenagem ao meio ambiente e aos povos indígenas, a canção fosse uma piada de mau gosto com o público paraense, acostumado à ouvir desaforo de outras regiões do Brasil e ser chamado jocosamente de índios. Uma pessoa mais exaltada e ousada arremessou com tudo uma sandália que atingiu em cheio o rosto de Renato Russo.

Logo em seguida, o líder do Legião Urbana se retirou do palco e a banda continuou tocando a música, sem a voz de Renato Russo. Quando terminou, todos se retiraram do palco e não mais voltaram.

A organização sentiu que o show acabou pela metade naquele momento e as luzes do Ginásio foram acesas. Neste momento, as pessoas perceberam que o grupo não voltaria mais e começaram à xingar Renato Russo e arremesar garrafas de vidro no palco. Um quebra-quebra generalizado se iniciou. Na saída do Ginásio, a revolta continuou e carros próximos tiveram os vidros quebrados e as portas amassadas, numa depredação desenfreada.

A rádio Liberal FM que promoveu o concerto processou a banda pelo abandono do palco e quebra de contrato. Uma nota chegou à ser publicada, criticando a banda.

Nota da Rádio Liberal FM- Foto: artenopapelonline.com.br

Conclusão

Depois deste evento, a banda cortou o estado do Pará definitivamente da sua agenda de shows até a morte de Renato Russo.

Quando ainda estava vivo, o cantor deu uma entrevista à Rádio Transamédica FM e classificou Belém como uma das cidades mais perigosas para se tocar no Brasil. Nesta entrevista, Renato diz que o arremesso da sandália foi durante a música “Tempo Perdido” e que não teria atingido o rosto, mas, sim, a perna. Pelo sim e pelo não, é algo claro que o músico exagerou, pois o vocalista da Legião Urbana abandonou o palco em bem mais de uma ocasião, ao primeiro sinal de objetos arremessados, nas apresentações da banda pelo país, como em Salvador, Brasília e outras cidades. Apesar de genial, Renato Russo era conhecido por também ter um temperamento difícil, mas, bem que o público de Belém podia ter sido mais tranquilo.

Quanto à música da confusão ser “Índios”, ou não, assistam abaixo o vídeo do canal dosoltv, onde o digital influencer Anderson Foca, que estava presente no show, narra o que houve:

Confusões anteriores em shows do Legião Urbana

 O autor deste texto assistiu 05 shows do Legião Urbana, desde os primórdios da banda até o último show do grupo, na Reggae Night, em Santos, no dia 14 de janeiro de 1995, onde Renato Russo também abandonou o palco após o arremesso de uma garrafa de água em direção à ele, porém depois do que pareciam intermináveis minutos, voltou, mas, sem tocar bis ao final da apresentação.

Anteriormente, também na época do lançamento do álbum Dois, no Caiçara Music Hall em Santos/SP, Renato Russo ficou ofendido porque o público não parava de entoar em coro “Bota pra F…”, o grito de guerra da banda Camisa de Vênus. Muito irritado, Renato passou um sermão no público e depois abandonou o palco e não voltou mais.

Em Brasília, em 08 de junho de 1988, o Legião Urbana tocou no estádio Mané Garrincha para uma multidão de 50 mil pessoas. Após uma hora de apresentação, Renato Russo se irritou com os seguranças e o público e saiu do palco. A confusão que se seguiu provocou 400 feridos, 70 pessoas detidas, 64 ônibus depredados e um prejuízo de 60 mil dólares.

Renato Russo também abandonou o palco durante apresentações em Salvador e Belo Horizonte.

Leia mais sobre: , , , ,