Indígenas

PF prende suspeito de reter cartões de benefícios sociais de indígenas do Acre

Essa é a segunda detenção no ano, de suspeitos de reterem cartões de benefícios sociais e previdenciários dos indígenas acreanos

Liebe Schmidt

terça-feira, 29/06/2021 - 02:14
PF prende suspeito de reter cartões de benefícios sociais de indígenas do Acre
Operação Totomide da Polícia Federal, no Acre - Foto: divulgação

A Polícia Federal desencadeou, na segunda-feira (28), a Operação Totomide, na cidade de Feijó. Decorrente dessa ação, um homem foi detido, suspeito de reter cartões de benefícios sociais e previdenciários de indígenas da etnia Kulina, sediados nas aldeias do Alto Envira, interior do Acre.

De acordo com informações da PF, o investigado deverá responder pelo crime de apropriação indébita, furto mediante fraude e pelo crime previsto no Estatuto do Idoso, que refere-se à retenção de cartões de idosos para garantir pagamento de dívida.

Conforme a polícia, a finalidade da retenção é a obtenção de vantagens indevidas contra os indígenas, por meio da cobrança de valores “exorbitantes” por produtos fornecidos, além do monopólio sobre os valores que se tornavam inacessíveis às vítimas.

Indígena da etnia Kulina, no Acre

Indígena da etnia Kulina, no Acre

Três mandados judiciais foram cumpridos, sendo dois de busca e apreensão e um de prisão preventiva domiciliar, emitidos pela Justiça Federal, subseção judiciária de Cruzeiro do Sul, no Acre.

A investigação começou em novembro de 2020 e 14 policiais federais atuam nela. De acordo com a Polícia Federal, o objetivo é coibir esses crimes que se repetem há anos, decorrente da vulnerabilidade dos indígenas da etnia Kulina.

OPERAÇÃO HUNI KUIN COIBIU ABUSOS CONTRA INDÍGENAS

Em março de 2021, um homem foi preso pela PF, suspeito de reter cartões de benefícios sociais e previdenciários de indígenas das etnias Kulina e Kaxinawás, das aldeias da região do Alto Purus. A ação fez parte da Operação Huni Kuin, deflagrada pela Polícia Federal na cidade de Manoel Urbano, Acre.

Indígenas da etnia Kaxinawás

Indígenas da etnia Kaxinawás – Foto: Amazônia Latitude

O homem detido era suspeito de fazer graves ameaças contra o povo indígena local. Durante as investigações, a Polícia Federal identificou três comerciantes em Manoel Urbano, suspeitos de retenção de cartões.

Leia mais matérias sobre indígenas

A PF denominou a investigação, conduzida no Acre, de Huni Kuin – termo que significa “gente verdadeira” na língua portuguesa e se refere à maior população indígena do Acre, os Huni Kuin ou kaxinawás. Esse povo se estabeleceu, principalmente, ao longo do Rio Purus, alto do Juruá, e no Vale do Javari. Segundo a polícia, é um dos povos indígenas mais explorados pelos comerciantes.