Justiça

Assessor de Bolsonaro vira réu por gesto racista em sessão do Senado Federal

A Justiça Federal de Brasília aceitou a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal contra o assessor de Bolsonaro

Liebe Schmidt

quinta-feira, 24/06/2021 - 02:02 • Atualizado 02:03
Assessor de Bolsonaro vira réu por gesto racista em sessão do Senado Federal
Assessor de Bolsonaro suspeito de fazer gesto racista em sessão do Senado - Foto: divugação

O assessor de Jair Bolsonaro, Filipe Martins, se tornou réu por gesto racista, após a Justiça Federal de Brasília aceitar a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal.

A decisão é do Juiz Federal Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara, que alegou que “a denúncia se fez acompanhar de documentos que lhe conferem verossimilhança.” O juiz determinou que Filipe Martins seja citado para responder à acusação em 10 dias.

 

A DENÚNCIA DO MPF

O MP do Distrito Federal denunciou à Justiça, no dia 08 de junho de 2021, o assessor especial para assuntos internacionais da Presidência da República, Filipe Martins, por um suposto gesto racista durante sessão do Senado, em 24 de março deste ano.

O Ministério Público afirmou que Martins “agiu de forma intencional e tinha consciência do conteúdo, do significado e da ilicitude do seu gesto”. Se Filipe Martins for condenado, as penalidades previstas são: prisão, pagamento de multa mínima de R$30 mil e perda do cargo público.

Durante a sessão do Senado Federal, o assessor de Bolsonaro juntou os dedos indicador e polegar da mão direita e passou sobre o paletó que vestia. Gesto idêntico é usado por supremacistas brancos, em várias partes do mundo.