Justiça

Universal tenta se apoderar de Jesus, Pomba e Reino de Deus, mas, perde na Justiça

A Universal movia ação contra a rival Igreja das Nações do Reino de Deus. Edir Macedo disse que o líder da dissidência está “no inferno”.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

sexta-feira, 13/08/2021 - 00:45 • Atualizado 23:06
Universal tenta se apoderar de Jesus, Pomba e Reino de Deus, mas, perde na Justiça
Edir Macedo - Foto: Colagem

A Igreja Universal do Reino de Deus perdeu ação que movia na 1ª Vara Empresarial e de Conflitos Relacionados à Arbitragem do Fórum Cível de São Paulo reivindicando o direito de imagem, com o objetivo de proibir uma outra organização religiosa de utilizar nome, marcas e símbolos semelhantes aos seus.

A Universal alega na ação que a Igreja das Nações do Reino de Deus, criada em maio do ano passado por um ministro dissidente, tenta confundir os fiéis para obter “vantagens econômicas indevidas” por meio de doações.

Além do nome “Reino de Deus”, a Igreja das Nações utiliza, da mesma forma que a Universal, uma pomba como símbolo, assim como a expressão “Jesus Cristo” no logotipo das fachadas e altares dos templos. De acordo com o processo movido pela Universal é citado que:

“São utilizados os mesmos aspectos gráficos, fonéticos e ideológicos, sem nenhum símbolo ou imagem para a diferenciação, o que causa extrema confusão”.

A Universal também diz que a pomba da Igreja das Nações é “praticamente idêntica” à sua, diferindo apenas na direção do voo e no fato de que uma está inserida num coração (a da Igreja fundada por Edir Macedo em 1977), enquanto a outra está dentro de uma cruz.

As marcas da Universal são registradas no Inpi (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). “Há uma clara e evidente má-fé”, afirmou a Universal.

Romualdo Panceiro – Foto: Divulgação

A Igreja das Nações

A Igreja das Nações do Reino de Deus foi criada por Romualdo Panceiro, ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus. Romualdo chegou a ser um dos seus principais ministros, tendo sido, inclusive, cogitado para comandar a entidade.

O ex-número dois na hierarquia da Universal inaugurou a sua igreja na avenida Celso Garcia, no bairro do Brás, região central de São Paulo, bem próxima ao Templo de Salomão, o gigantesco centro religioso erguido por Edir Macedo. Uma competição que certamente irritou o chefe da Universal.

Ex-responsável pela Universal no Brasil e em Portugal, Panceiro deixou a instituição em 2018. Estava na igreja havia mais de 30 anos. Sua saída foi atribuída oficialmente a “condutas inadequadas”. Teria sido flagrado em adultério, segundo ex-colegas.

Em um vídeo divulgado no YouTube em 2018, Edir Macedo confirmou o seu desligamento e chamou Romualdo de Sambalá, personagem bíblico considerado traidor, porque se opôs à reconstrução do muro de Jerusalém. Em outra gravação, Macedo disse que Panceiro estava “no inferno”.

A Igreja das Nações, na defesa apresentada à Justiça, afirmou que Romualdo Panceiro “nunca teve a intenção de ludibriar as pessoas, mas, sim, de propagar a palavra de Deus”.

Disse que “Reino de Deus” é um termo bíblico e que a Universal não pode se apropriar de algo “que é tão importante aos cristãos”. Não pode haver “monopólio”, declarou.

A pomba, da mesma forma, é, de acordo com a Igreja das Nações, um signo importantíssimo para a fé cristã, pois remete ao batismo de Jesus Cristo.

No processo, citou um trecho da Bíblia. “Batizado, Jesus subiu imediatamente da água e logo os céus se abriram e ele viu o Espírito de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre ele.”.

A Igreja das Nações declarou ainda que mudou o desenho, bem como a fonte da letra do nome de “Jesus Cristo” no seu logotipo, a fim de provar que seu único objetivo é propagar a palavra de Cristo.

O juiz Luis Felipe Ferrari Bedendi deu razão à Igreja das Nações. Disse que não houve reprodução ou imitação integral das marcas da Universal e que os termos utilizados são comuns ao ramo religioso, citando as palavras “Igreja” e “Deus”.

A Universal ainda pode recorrer da decisão.

 

Com informações de Rogério Gentile/UOL