Notícia

Maçonaria divulga nota de repúdio ao Fundo Eleitoral imoral de R$ 5,7 bilhões

A Maçonaria, pede através da nota, que o presidente Jair Bolsonaro vete o aumento.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

terça-feira, 20/07/2021 - 17:36
Maçonaria divulga nota de repúdio ao Fundo Eleitoral imoral de R$ 5,7 bilhões
Maçonaria de Rondônia/Glomaron - Foto: Redes sociais

A Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB) divulgou uma nota oficial de repúdio pelo aumento do Fundo Eleitoral, de R$ 2 bilhões para R$ 5,7 bilhões aprovado no dia 15 deste mês pelo Congresso.

Na ocasião, apenas 3 deputados federais de Rondônia votaram contra o aumento do Fundo, são eles: Léo Moraes (PODEMOS), Expedito Netto (PSD) e Mauro Nazif (PSB).

O aumento de quase o triplo do valor do Fundo Eleitoral não é ilegal, mas, é considerado imoral pela maioria dos brasileiros, diante das mais de 500 mil mortes por Covid-19 no Brasil, pelo fato de estarmos em período de pandemia e o tamanho dos investimentos que vão ser necessários para recuperar a economia do país.

Por trás do aumento do Fundo Eleitoral, está o relator, deputado Juscelino Filho (DEM) do Maranhão, que incluiu de última hora um parecer alterando os parâmetros atuais para destinar mais recursos às campanhas eleitorais.

A nível de Brasil, os partidos que orientaram as bancadas a votar “sim” pela proposta são os seguintes: PSL, PL, PP, PSD, MDB, PSDB, DEM, Solidariedade, Pros, PSC, PTB e Cidadania.

Já os partidos que pediram para os parlamentares filiados votarem pelo “não” são os seguintes: PT, PSB, PDT, Podemos, PSOL, Novo, PV, Rede, e a liderança da Oposição.

A alteração do Fundo Eleitoral está agora nas mãos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que pode vetar, ou não o aumento aprovado pelo Congresso. A nota da Maçonaria pede o veto do presidente. Leia abaixo: