Notícia

VIROU ROTINA: Pacientes são atendidos no chão de Hospital JPII na 5ª denúncia de superlotação

A superlotação foi registrada no final de semana no Hospital João Paulo II, em Porto Velho.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

segunda-feira, 26/07/2021 - 15:35 • Atualizado 27/07/2021 - 12:38
VIROU ROTINA: Pacientes são atendidos no chão de Hospital JPII na 5ª denúncia de superlotação
Paciente atendido no chão do JPII

O Hospital João Paulo II em Porto Velho está mais uma vez superlotado. Na quinta denúncia, em um mês, mais uma vez pacientes são atendidos no chão da unidade no que já se transformou em uma rotina macabra e desumana quando se trata de gestão de saúde pública. No vídeo, gravado no final de semana, os servidores também denunciam que o aparelho de tomografia está quebrado e sem previsão de conserto. VEJA O VÍDEO:

No mesmo dia da filmagem, uma ambulância do Corpo de Bombeiros tentou transferir um paciente para o Hospital, mas, não tinha maca disponível, o que irritou o bombeiro que acompanhava o paciente. VEJA O VÍDEO:

A situação de caos no João Paulo II chegou até o presidente do Sindicato de Enfermagem de Rondônia (Sinderon), que foi ao local e em outras unidades de saúde do estado, fazer uma inspeção.

Segundo Charles Alves Oliveira, a situação de superlotação do JPII continuou por todo o final de semana. Já em outras unidades, sobrava leitos, sem que no entanto, pacientes fossem transferidos para os locais que tinham condições de internar os pacientes do João Paulo. Durante a inspeção, o presidente do Sinderon também viu que faltava alimentação para os servidores em outra unidade, o Hospital de Base. VEJA O VÍDEO COM A DENÚNCIA ABAIXO:

Esta é a quinta denúncia de superlotação e pacientes sendo atendidos no chão no Hospital João Paulo II.

Em apenas duas ocasiões, o secretário de Saúde, Fernando Máximo, fez uma operação de transferência de pacientes para outras unidades, mas, o problema persiste.

Nas duas ocasiões em que foram realizadas transferências, o secretário só fez o mutirão para transferir os pacientes para outras unidades após a afiliada da Globo exibir reportagem mostrando o caos no João Paulo. Nas outras 3 ocasiões, como não houve exibição do “mais do mesmo” na afiliada da Globo, Fernando Máximo nada fez para resolver o que já se tornou rotina no principal Hospital de Rondônia.

Entramos em contato com a assessoria da Secretaria Estadual de Saúde/RO (Sesau) e aguardamos o posicionamento do secretário, que não se manifestou até a noite de segunda-feira (26).