Notícia

Motorista que atropelou manifestante em Recife é identificado e depõe em VÍDEO

O motorista, que tem oito multas por infrações graves, deu uma versão muito diferente do relato das testemunhas. VEJA O VÍDEO DO RELATO.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

domingo, 03/10/2021 - 06:24 • Atualizado 05/10/2021 - 03:51
Motorista que atropelou manifestante em Recife é identificado e depõe em VÍDEO
Luciano Matias Soares - Foto: Priscilla Aguiar/G1 PE

O motorista do Jeep Renegade que atropelou uma advogada durante o protesto Fora Bolsonaro de sábado (2) foi identificado. Trata-se do administrador de empresa, Luciano Matias Soares, de 38 anos.

O atropelamento foi na capital de Pernambuco, nos arredores da Ponte Maurício de Nassau, no bairro de Santo Antônio, por volta de 12h30. A vítima foi encaminhada para o Real Hospital Português, no centro de Recife.

Em vídeo, gravado por uma equipe do G1 de Pernambuco, Luciano deu uma versão muito diferente do que disseram várias testemunhas que viram o atropelamento.

Acompanhado do advogado Sérgio Gonçalves, o motorista falou que o medo fez com que ele apertasse o acelerador do veículo, levando a advogada no capô do carro por metros até cair depois da estação de BRT Maurício de Nassau, na Avenida Martins de Barros, no bairro de Santo Antônio.

O administrador contou que quando se deparou com o protesto, algumas pessoas ficaram na frente do carro.

“Se eu tivesse vindo na velocidade, eu não tinha apenas atropelado ela, teria atropelado várias pessoas. Só passei por ela porque ela se pendurou no meu carro. Começaram a dar um monte de pancada no carro, […] então fiquei com medo. Me senti ali agredido. Fiquei com medo de ficar e acontecer uma coisa pior”, disse Luciano.

Ainda de acordo com o motorista, uma moto e outro carro furaram o bloqueio feito por manifestantes ( testemunhas disseram que apenas ele quis furar o bloqueio), mas quando ele foi passar, a advogada apareceu, batendo no capô do veículo dele.

“Quando olhei do lado tinham umas pessoas que começaram a me agredir. Nessa agressão, meu carro é automático, eu acelero. Ando um espaço com ela pendurada no meu carro. Eu freio. Ela cai. Quando ela caiu, eu fui embora e, quando olhei pelo retrovisor, estava todo mundo atrás de mim”, afirmou.

Manifestante é arrastada e atropelada por homem dirigindo um Jeep Renagade no Recife

Atropelamento de advogada em manifestação – Foto: Divulgação

Luciano disse que o atropelamento não foi proposital e que não teve nenhuma ligação com política. “Sou administrador e não tenho nada a ver com bandeira política ( Luciano já foi candidato a vereador por um partido conservador de direita). […] Estou solidário. Desde a hora do acontecimento, estou tremendo por dentro, preocupado com a pessoa que sofreu o acidente”, disse.

Questionado se não teve medo que a advogada se machucasse ao acelerar o carro, ele afirmou que sim. “Tive medo e tive medo também que eu me machucasse. […] Naquele momento, eu vou ser bem sincero, eu não sei nem a reação que eu tive. Só sei que ela caiu. Eu só vi todo mundo vindo e eu não pude parar para socorrer”, contou.

O administrador não soube precisar por quantos metros a advogada foi levada no capô do carro dele até cair. “Tem um BRT ali, não foi tão longe, acho que uns 50 metros, mas não tenho certeza, foi tudo muito rápido”, afirmou.

VEJA O VÍDEO (Fonte G1 PE):

O caso é investigado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) do Recife/PE. Pelo menos, sete pessoas prestaram depoimento no sábado (2).

Após o atropelamento, Luciano procurou o advogado Sérgio Gonçalves e registrou um boletim de ocorrência na Delegacia do Vasco da Gama, na Zona Norte do Recife. A denúncia, registrada às 13h52, foi de dano e depredação de patrimônio.

Ele negou ser uma pessoa violenta no trânsito e comentou sobre as oito multas que recebeu por infrações diversas, como transitar em velocidade superior a permitida, avançar sinal vermelho, trafegar em faixa exclusiva de ônibus e dirigir usando celular. O total das multas é de quase R$ 3 mil, além de estar com o IPVA de 2021 atrasado.

“Isso é normal de todo carro, mas você não tem nada de crime de trânsito. […] Não tem nenhuma multa que diga que é uma coisa que oferece risco à sociedade”, afirmou.

Um detalhe que chama a atenção é que a idade de Luciano informada na CNH tem uma diferença de 10 anos à mais do que a informada por ele ao TRE de Pernambuco, quando se candidatou a vereador de Recife pelo Partido Social Cristão (PSC) (Veja o link) em 2012, com o registro de número 20.666, obtendo apenas 419 votos

Luciano Soares candidato PSC – Foto: Reprodução TRE/PE

No registro de sua candidatura, porém, informou a data de nascimento de 10 de fevereiro de 1973, exatos dez anos a menos do que consta na documentação dos órgãos de trânsito.

Ele também não informou se tem porte de arma. Manifestantes disseram que ele apontou uma arma no bloqueio.

A versão das testemunhas 

O depoimento de Luciano é muito diferente do que o das pessoas que viram o atropelamento. A versão dele foi contestada por pelo menos seis testemunhas que compareceram ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) afirmando que ele acelerou propositalmente o carro em cima dos manifestantes.

“Ele foi o único que continuou acelerando em cima dos manifestantes e não pegou a via que estava livre, como fizeram os demais veículos”, disse Priscilla Rocha, advogada da vítima.

“Foi aberto um inquérito por tentativa de homicídio contra o motorista. A via da direita (na Martins de Barros) estava liberada aos veículos em frente ao Armazém do Campo no sentido de quem vai para o Palácio do Campo das Princesas. As advogadas estavam tentando fazer com que os veículos passassem pela 1º de Março ou pela faixa da Martins de Barros que estava livre”, explicou Priscilla, que também acrescentou:

“Dois advogados da comissão estavam lá acompanhando e presenciaram todo esse momento. Em um momento, ele realmente acelerou e a advogada, para se proteger, precisou segurar no capô e ele arrastou ela por 100 metros. Ele fez uma manobra para que ela caísse, ela caiu e ele passou por cima das pernas dela”.

A servidora pública Miriam Mesquita, de 67 anos, disse que presenciou o atropelamento da advogada. “Foi muita gente gritando, ele [o motorista] não parou porque não quis. Pelo contrário, ele acelerou”, contou.

Pelo Twitter, outras testemunhas também se manifestaram:

Tweet falando sobre atropelamento – Foto: Reprodução Twitter

Como está a vítima

A advogada Isabela Freitas Vera, de 28 anos, que integra a Comissão de Advocacia Popular da OAB-PE,  foi levada para o Real Hospital Português, no bairro do Paissandu, na área central da cidade, onde está internada.

Segundo o G1 de Pernambuco, o presidente da Comissão de Advocacia Popular da OAB-PE, Renan Castro, que acompanhou a paciente no hospital, disse que ela tinha quadro clínico estável na noite do sábado (2), mas precisava passar por uma cirurgia no tornozelo esquerdo, por causa de uma fratura grave. Ele também falou que a advogada está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e levou quatro pontos na cabeça, devido a uma fratura. Seu estado ainda é delicado.

Neste sábado (2), manifestantes saíram em passeata pelas ruas do Centro do Recife para protestar contra o governo Bolsonaro — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Manifestação Fora Bolsonaro em Recife – Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

O protesto

O ato Fora Bolsonaro em Recife começou por volta das 9h de sábado (2), na Praça do Derby, na área central do Recife.

Os manifestantes pediram o impeachment do presidente, mais empregos e vacinas contra a Covid-19 e comida para a população. Eles saíram em uma passeata até a Praça do Carmo, onde dispersaram por volta das 13h.

Fontes: G1 PE, Uol e Marco Zero.