Polícia

Acusado de pedofilia em escolinha de futebol de Marabá é pego pela polícia

O instrutor já tinha sido condenado por estuprar menor de idade, doente mental, no Tocantins

Liebe Schmidt

terça-feira, 29/06/2021 - 21:26 • Atualizado 30/06/2021 - 14:30
Acusado de pedofilia em escolinha de futebol de Marabá é pego pela polícia
Erismar Nunes, acusado de abuso sexual, foi preso em Manaus - Foto: divulgação

Erismar Nunes Noronha, conhecido como “índio”, foi preso, acusado de abuso sexual contra vários adolescentes, quando era instrutor de escolinha de futebol, em Marabá, no Pará. A prisão aconteceu na terça-feira (29), em Manaus, no Amazonas.

O acusado era o professor responsável pela Escolinha de Futebol “Camisa 10”, situada em Marabá, onde também trabalhava Ubiratan Ramos de Carvalho, o Bira Ramos, condenado em 2018 a 28 anos de prisão pelo mesmo crime.

Segundo o Ministério Público e a Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente, o instrutor teria abusado sexualmente de vários adolescentes que procuravam a escolinha para a prática do esporte, valendo-se da vulnerabilidade dos menores.

As investigações começaram no mês passado, quando a mãe de uma criança, com apenas 10 anos, descobriu no celular do filho um vídeo íntimo encaminhado ao acusado, a pedido deste. O vídeo chegou ao Ministério Público, que requereu à Delegacia da Criança e Adolescente que apurasse os fatos, mas Erismar Noronha fugiu de Marabá após saber das investigações contra ele.

Leia mais sobre condenações por estupro

A prisão preventiva do instrutor foi ordenada pela juíza Renata Guerreiro Milhomem de Souza, titular da 1ª Vara Criminal de Marabá. A investigação foi efetuada pelas Promotorias de Justiça da Infância e Criminal, em parceria com a Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente. Participaram da prisão a Polícia Civil de Manaus e o NAI (Núcleo Avançado de Investigação) da Polícia Civil de Marabá. Erismar deverá ser levado para o presídio de Marabá, onde o colega Bira Ramos cumpre pena.

O INSTRUTOR DE FUTEBOL QUE CUMPRIU PENA POR ESTUPRO

Erismar responde a processo desde 2009, que o acusa de gravar cenas de sexo explícito, sexo oral e masturbação, envolvendo um adolescente, do qual era professor no Camisa 10. De acordo com informações, o acusado usou de artifícios, convencendo o rapaz de que ele o levaria para São Paulo, onde faria testes para atuar em grandes times de futebol.

Na época, o juiz o absolveu da acusação, acolhendo a tese de negativa de autoria, mas o Ministério Público Estadual apelou ao Tribunal de Justiça do Estado, pois haveria declaração de testemunhas.

Na cidade de Axixá (TO), Erismar Nunes foi condenado a 8 anos de reclusão pelo crime de estupro de vulnerável, cuja vítima foi um deficiente mental de 15 anos. Esse fato aconteceu em 2011.

CASOS FAMOSOS DE PEDOFILIA NO FUTEBOL DE MARABÁ

No dia 27 de Maio de 2016 , o programa Esporte Espetacular, da Rede Globo, exibiu uma reportagem com entrevistas de atletas e ex-atletas que foram vítimas de dois homens muito conhecidos no futebol local: Ubiratan Ramos de Carvalho, o Bira Ramos, e Ronildo Borges de Souza, conhecido como “Batata”. Ambos foram presos, julgados e condenados pela Justiça por pedofilia e estupro de vulnerável.

Bira Ramos, condenado por pedofila no futebol

Bira Ramos, condenado por pedofilia no futebol de Marabá – Foto: divulgação

Bira era radialista e treinador, também da escolinha Camisa 10. A polícia suspeitava, na época, que ele teria cometido esses crimes por mais de duas décadas, já que uma das vítimas, de 25 anos, afirmou ter sido molestada pelo técnico aos 13 anos. Além da escolinha, Bira Ramos organizava campeonatos de base em Marabá e em outras cidades do Pará. Ele já havia sido detido em 2009, também por denúncia de estupro de vulnerável.

Batata era um olheiro que levava atletas, de Marabá e de outras cidades, para São Paulo, com permissão dos pais, sob a promessa de torná-los grandes atletas de futebol.