Polícia

Repórter da Rede Amazônica é agredido e ameaçado por ex-prefeito investigado por superfaturamento

O ex-prefeito ainda tomou os equipamentos do repórter e quebrou seu celular. O caso aconteceu em Humaitá (AM).

Liebe Schmidt

sexta-feira, 09/07/2021 - 01:48 • Atualizado 02:05
Repórter da Rede Amazônica é agredido e ameaçado por ex-prefeito investigado por superfaturamento
Ex-prefeito de Humaitá ameaça e agride repórter da Rede Amazônica - Foto: divulgação

O repórter Lucas Lobo, da Rede Amazônica de Humaitá, sul do Amazonas, foi agredido pelo ex-prefeito Herivâneo Seixas, na quinta-feira (8). O profissional registrou um boletim de ocorrência.

A agressão aconteceu na rua, em frente à loja do ex-prefeito. Lucas procurou Seixas para entrevistá-lo sobre a investigação do Ministério Público do Amazonas (MP/AM) que apura a contratação, sem processo licitatório, de uma empresa para fornecimento de testes rápidos de detecção do Covid-19. O contrato, sob suspeita de superfaturamento, foi firmado em 2020 pela prefeitura de Humaitá.

O ex-prefeito chegou ao local numa caminhonete, muito agressivo, já xingando, proferindo palavrões e fazendo ameaças à vida do repórter.

“O que vai filmar aí?” O repórter respondeu: “eu vim fazer o meu trabalho”. O ex-prefeito então continuou: “Primeiro vou tomar teu telefone. Tu veio a mando de quem aqui?”

Em seguida, Seixas agrediu fisicamente o repórter, que teve o microfone tomado de suas mãos e o celular jogado no chão, vindo a quebrar.

Ex-prefeito de Humaitá tomou o microfone do repórter, após a agressão

Ex-prefeito de Humaitá tomou o microfone do repórter, após a agressão – Foto: divulgação

O ex-prefeito se apossou dos equipamentos, levando-os para seu carro. Em seguida, chamou a polícia para prender o repórter durante o exercício de sua profissão. Outro homem, que seria filho de Seixas, também ameaçou a vida e xingou o repórter.

Com a chegada da polícia, o ex-prefeito tentou oferecer benefícios ao profissional de imprensa. O repórter foi até a delegacia do município para registrar a ocorrência.

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amazonas – SJP/AM e a Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ expediram uma nota de repúdio referente à agressão sofrida pelo repórter Lucas Lobo. No documento, as entidades ressaltam “às autoridades públicas e à sociedade que o acesso à informação de relevante interesse público é um direito fundamental do cidadão. Portanto, o livre exercício profissional e a integridade dos jornalistas devem ser respeitados”.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional do Amazonas, também manifestou seu repúdio em decorrência do ataque sofrido pelo profissional da Rede Amazônica. Em nota, o órgão relatou condenar os atos do ex-prefeito por violarem o direito à liberdade de imprensa e de informação da população, assegurados pela Constituição de 1988.