Polícia

Delegado da Polícia Federal do Pará está sendo investigado pela sua própria corporação

O delegado Everaldo Eguchi foi apoiado por Bolsonaro nas eleições de 2020

Liebe Schmidt

quarta-feira, 14/07/2021 - 15:32 • Atualizado 15:38
Delegado da Polícia Federal do Pará está sendo investigado pela sua própria corporação
Delegado Eguchi foi apoiado por Bolsonaro nas eleições de 2020 - Foto: divulgação

Delegado da Polícia Federal do Pará está sendo investigado pela própria corporação por suspeita de vazamento de informações sobre ofensiva que mirou uma organização criminosa dedicada à exploração ilegal de minério de manganês.

A Operação Mapinguari, deflagrada na manhã desta quarta (14) pela Polícia Federal, tem como principal alvo Everaldo Jorge Martins Eguchi, o Delegado Federal Eguchi, candidato à prefeitura de Belém nas eleições em 2020 e apoiado por Bolsonaro.

Em cumprimento à Operação Mapinguari, um efetivo de 35 agentes cumpre 8 mandados de busca e apreensão contra o delegado e 6 empresários ligados à exploração ilegal de manganês no sudeste do Pará. As ordens foram expedidas pela 2ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Marabá, que afastou Eguchi de suas funções.

As diligências estão sendo efetuadas em Belém, Marabá, Parauapebas (PA) e em Goianésia (GO). A operação objetiva supostos crimes de violação de sigilo funcional, corrupção passiva, corrupção ativa e associação criminosa.

Foi encontrada uma bolsa com notas de R$ 100 e R$ 50, além de outros valores, num dos endereços visitados pelos policiais. O total ainda não foi divulgado pela PF.

Mala de dinheiro encontrada em endereço ligado ao delegado Eguchi

Bolsa com dinheiro encontrada em endereço ligado ao delegado Eguchi – Foto: divulgação

De acordo com a corporação, a investigação iniciou em 2018 e trata de informações vazadas da Operação Migrador – apuração conduzida à época pela Delegacia de Polícia Federal de Marabá.

A PF relata que o vazamento das informações prejudicou a investigação, considerando que ‘parte dos investigados tiveram conhecimento antecipado da ação policial, acarretando a não localização de alguns alvos no dia da deflagração da operação’.

QUEM É O DELEGADO EGUCHI E O APOIO DE BOLSONARO

Em publicação de campanha para as eleições municipais de 2020, de 26 de junho, o delegado investigado Everaldo Jorge Martins Eguchi, mais conhecido como delegado Eguchi, diz ser formado em Economia e Direito, ter entrado para a Polícia Federal por concurso público e, na época, ter 11 anos como delegado da Policia Federal. Relata também ter participado no combate contra o crime organizado, tráfico de pessoas, drogas e crime ambiental. Divulgou ainda que foi convidado a participar da Interpol e ter participado da Lava-Jato.

Eguchi foi candidato nas eleições de 2018 a Deputado Federal, não se elegendo, mas segundo ele, obteve 52.297 votos numa votação expressiva pelo partido PSL. Filiou-se ao Partido Patriota 51 e candidatou-se a prefeito da capital paraense, Belém do Pará.

No segundo turno das eleições de 2020, Jair Bolsonaro defendeu o voto em Eguchi contra Edmilson Rodrigues (PSOL). “Caso fosse eleitor em Belém/PA, certamente votaria”, disse o presidente no Facebook, em resposta a um eleitor do delegado. Eguchi perdeu a eleição.