Polícia

Pedreiro traído, que matou mulher a marretadas na frente dos filhos, foi preso pela PC

O pedreiro chegou a cavar uma sepultura no quintal da residência para enterrar a mulher.

Por Redação Rondônia Já

quinta-feira, 15/07/2021 - 17:42 • Atualizado 21/08/2021 - 19:37
Pedreiro traído, que matou mulher a marretadas na frente dos filhos, foi preso pela PC
Pedreiro acusado de assassinar a esposa a golpes de marreta - Foto: divulgação

O pedreiro Georgileis Cardoso da Silva, 52 anos, foi detido na quarta-feira (14) pela Polícia Civil. Ele é suspeito de matar a esposa Francinete Silva dos Santos, 32 anos, com golpes de marreta e tijoladas, na frente de dois filhos menores de idade, em Sinop, Cuiabá. A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu na UTI do Hospital Regional da cidade na terça-feira (13).

Após investigação, o homem foi localizado pela equipe do delegado Sergio Ribeiro, nas proximidades da BR-163, zona rural. Ele admitiu o crime e disse à polícia que matou Francinete por ciúmes.

De acordo com o suspeito, a esposa estaria tendo um caso com outro homem, por isso, ele planejou matar e enterrar a mulher no fundo da residência onde moravam. O pedreiro foi encaminhado para o Presídio Osvaldo Florentino Ferreira Leite, em Sinop, onde aguardará por audiência de custódia.

O ESPANCAMENTO

O pedreiro surrou a esposa na frente dos dois filhos menores no dia 9 de julho. A vítima foi encontrada inconsciente, muito ferida e coberta de sangue, com uma corda amarrada nos braços. O homem cavou uma sepultura para enterrar a mulher, mas os vizinhos acionaram a Polícia Militar, que socorreu a vítima com o auxílio do Corpo de Bombeiros.

Cova aberta pelo pedreiro para sepultar a esposa

Cova aberta pelo pedreiro para sepultar a esposa – Foto: divulgação

Chegando à residência, a PM encontrou a cova aberta, no chão do quintal. Ela media 1,2 metros de comprimento por 80 centímetros de largura e 60 centímetros de profundidade. O homem havia fugido.

As crianças ficaram sob a guarda temporária do Conselho Tutelar e até o momento não foi definido se elas ficarão com a avó materna, que mora no Pará.

Fonte: com informações do RDNews