Polícia

Venda ilegal de terras da União em RO e AM por redes sociais é combatida pela PF – VEJA VÍDEOS

As terras públicas eram oferecidas para a venda no aplicativo WhatsApp, pelo Youtube e no Facebook.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

quinta-feira, 29/07/2021 - 14:22 • Atualizado 22:02
Venda ilegal de terras da União em RO e AM por redes sociais é combatida pela PF – VEJA VÍDEOS
Invasores de terras da Floresta Nacional de Jacundá, Rondônia - Foto: Folha/UOL

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (28) a Operação Amazonia.com para combater o desmatamento e a venda ilegal de terras públicas da União através de redes sociais.

As investigações tiveram início em fevereiro de 2021 após a publicação de reportagem investigativa da BBC Brasil denunciando o desmatamento e a venda de terras públicas nos Estados de Rondônia e Amazônia através de redes sociais por particulares, inclusive dentro de unidades de conservação e terras indígenas, regiões que abrangem a área de atuação da Superintendência Regional da Polícia Federal em Rondônia.

Através de um repórter investigativo disfarçado de comprador, a emissora manteve contato direto com pessoas que postaram anúncios de venda de terras de domínio público sem os registros necessários. Em alguns dos anúncios, os investigados anunciam a venda de imóveis rurais na região amazônica com 830 (oitocentos e trinta) hectares por valores que atingem a cifra de R$ 1.600.000,00 (um milhão e seiscentos mil reais). Veja o vídeo abaixo:

 

A Polícia Federal cumpre 06 (seis) mandados de busca expedidos pela 7ª Vara Criminal da Justiça Federal de Porto Velho/RO e pela 2ª Vara da Justiça Estadual de Machadinho d´Oeste/RO nas cidades rondonienses de Porto Velho, Monte Negro, Cujubim e no sul do Amazonas, em Humaitá, apreendendo documentos que tem relação com a investigação.

Os investigados serão ouvidos pela Polícia Federal e responderão pelos crimes de estelionato (art. 171, § 3º, do Código Penal, invasão de terras da União, Estados e Municípios (art. 20 da Lei n. 4.947/66) e desmatamento em terras de domínio público (art. 50-A da Lei n. 9.605/98).

Operação Amazonia.com PF – Foto: Ascom PF/RO

Terras da União invadidas em RO

As Terras Indígenas Uru Eu Wau Wau e Karipuna foram invadidas por grileiros. Outra situação envolve um grupo criminoso que tem ligação com igrejas evangélicas de Rondônia e invadiu a Floresta Nacional de Jacundá no dia 15 de fevereiro deste ano. São cerca de 300 grileiros, de vários municípios, chefiados por um advogado que também coordena invasões em outras Unidades de Conservação.

Os invasores, bem organizados, montaram um grupo no WhatsApp,  Jacundá, a Terra Prometida e também criaram um canal no Youtube, com vídeos chamando pessoas para invadir a área.

No Youtube, os vídeos foram retirados após o grupo ser exposto nacionalmente em duas reportagens, uma no jornal  O Globo e outro na Folha de São Paulo.

No grupo de WhatsApp, o visitante que entrava por um link de convite, era recebido com a seguinte mensagem:

Jacundá, a Terra Prometida – Foto: WhatsApp

Jacundá, a Terra Prometida continuação – Fonte: WhatsApp

No grupo de WhatsApp da organização criminosa todos os vídeos, que eram provas contra as ações de grilagem de terras públicas foram apagadas, só restando um, de Humberto Pereira, um dos chefes da invasão: