Polícia

Maquiadora que mandou matar marido e amante é condenada a 44 anos de prisão

O marido morto por amante da maquiadora era árbitro de futebol do MT.

Por Redação Rondônia Já

sábado, 31/07/2021 - 16:30 • Atualizado 16:37
Maquiadora que mandou matar marido e amante é condenada a 44 anos de prisão
Maquiadora e o marido Jandirlei Alves Bueno - Foto Polícia Civil MT

A maquiadora Cleia Rosa dos Santos Bueno, de 37 anos, foi condenada na sexta-feira (30) a 44 anos e nove meses de prisão pelo Tribunal do Júri de Sinop (MT) pela morte do marido e do amante. Os crimes aconteceram entre 2016 e 2017.

A maioria dos jurados entendeu que ela encomendou a morte do marido, o árbitro de futebol Jandirlei Alves Bueno, de 39 anos, executado pelo amante dela, Adriano Gino. A mulher também foi sentenciada por contratar os irmãos José Graciliano dos Santos, 34 anos, e Adriano dos Santos, 23, para matarem Gino.

Pela morte de Jandirlei, crime que ela sempre negou envolvimento, Cleia foi condenada por homicídio qualificado cometido por motivo fútil, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e de maneira cruel.

Jandirlei foi esfaqueado na residência do casal, no Jardim Florença, e a maquiadora afirmava que teria ocorrido um latrocínio (roubo seguido de morte). No entanto, segundo as investigações, a vítima foi esfaqueada por Adriano Gino, que simulou um assalto. Jandirlei foi atingido por dois golpes de faca, em outubro de 2016, e ficou internado por quase dois meses, porém, acabou falecendo.

Na data do crime, a mulher contou à polícia que estava em casa, na companhia do esposo, quando foram rendidos por dois assaltantes. Na versão contada, Jandirlei teria reagido e sido esfaqueado.

Já pela morte de Adriano Gino, ela foi sentenciada por homicídio qualificado cometido de maneira cruel, mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Adriano Gino sofreu diversos golpes de enxada em sua cabeça, estando adormecido em razão de ter sido dopado pelos criminosos, de modo que não foi possível oferecer resistência. Além disso, também foi condenada pela ocultação do cadáver de Adriano Gino.

Marido e amante mortos por maquiadora – Foto: Montagem

Além da maquiadora, mais dois são condenados

Os jurados ainda entenderam que os irmãos Adriano dos Santos e José Graciliano tiveram envolvimento na morte de Adriano Gino. Com a decisão, a juíza Rosângela Zacarkim dos Santos fixou a pena de Adriano em 13 anos e seis meses de reclusão, em regime fechado. José Graciliano, por outro lado, pegou uma pena maior, 16 anos e sete meses de prisão.

Adriano, José Graciliano e Cleia ainda podem recorrer da decisão. A magistrada, no entanto, decidiu que eles deverão começar a cumprir a pena em regime fechado e, desta forma, seguirão presos.

A maquiadora está na cadeia pública de Nortelândia. José Graciliano está no presídio Osvaldo Florentino Leite, o “Ferrugem”, em Sinop, e o irmão dele está no complexo Ahmenon Lemos Dantas, em Várzea Grande. Todos os municípios citados ficam em Mato Grosso.

Segundo a denúncia do Ministério Público de Mato Grosso (MPE-MT), Cleia mandou o amante Adriano matar o marido e depois contratou José e Adriano, que trabalhavam como vigilantes no mesmo bairro onde ela morava, para matar o amante.

Cleia e os irmãos foram presos no final de março de 2018 por policiais da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf). Os irmãos levaram os investigadores até o local onde o corpo de Gino foi enterrado, em uma área de mata, na estrada Alzira. Ele estava desaparecido desde o dia 23 de dezembro de 2017 . Na mesma vala, foi encontrada a motocicleta da vítima.

Em alegações finais no processo, a maquiadora disse que não participou da morte de Jandirlei. Também pediu absolvição em relação ao crime de homicídio contra Gino.

Já a defesa de Adriano dos Santos pediu a impronúncia do réu, afirmando que ele cometeu “crime impossível”, uma vez que o amante de Cleia já estaria morto quando recebeu os golpes de enxada. Apontou também que José Graciliano não participou do assassinato.

Mas, prevaleceu o entendimento do Júri. Os réus ainda podem recorrer, mas, vão responder presos.

Maquiadora condenada por matar marido e amante – Foto: Divulgação