Polícia

Mulher com medida protetiva morre nua e com lesões na casa de policial federal aposentado

Quando a PM chegou, o ex-marido estava debruçado socando o tórax do corpo da vítima na varanda da casa.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

quarta-feira, 04/08/2021 - 13:21 • Atualizado 20:34
Mulher com medida protetiva morre nua e com lesões na casa de policial federal aposentado
Rosilene Chaves de Oliveira - Foto: Reprodução Facebook

A assistente social Rosilene Chaves de Oliveira, de 46 anos foi encontrada morta na casa do ex-marido, o escrivão da Polícia Federal aposentado Raimundo T. A. N., de 56 anos, que foi preso na madrugada desta quarta-feira (4) pela Polícia Militar.

De acordo com a ocorrência policial, a PM foi acionada por duas pessoas que viram a vítima caída na varanda de uma casa na Av. Calama, no bairro Aponiã, zona leste de Porto Velho.

Quando a PM  chegou viu o policial federal aposentado por cima da ex-esposa, batendo com força no peito dela. Os policiais relataram, na ocorrência, que o suspeito estava com visíveis sinais de  embriaguês e a vítima já morta.

Pretensa reconciliação

O suspeito disse aos policiais militares que o casal tinha marcado um encontro para reatar o relacionamento e que ambos faziam sexo, quando a mulher teve um mal súbito e assim, teria iniciado procedimentos de massagens cardíacas.

Mas, testemunhas garantiram à PM que Raimundo agrediu a ex-mulher com força excessiva, dando vários socos no peito e tapas no rosto.

O Samu, quando chegou, confirmou a morte da vítima e o médico falou sobre a suspeita de que Rosilene teria morrido por causa das agressões. A perícia criminal confirmou que a mulher tinha lesões no peito e no rosto.

O policial federal aposentado recebeu voz de prisão e mostrou à PM onde estava guardada no quarto uma pistola, com carregadores e 49 munições.

Segundo o suspeito, ele estava separado da vítima há um ano e estaria tentando a reconciliação com Rosilene.

Rosilene Chaves de Oliveira – Foto: Reprodução Facebook

Medida protetiva

A vítima tinha uma medida protetiva ainda em vigor concedida pelo 1º Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, em 20 de junho de 2020, que também determinava a suspensão do porte de arma de fogo do escrivão aposentado da Polícia Federal.

Rosilene e o policial federal permaneceram juntos por cerca de 25 anos. No ano passado se separaram, mas, amigos afirmaram que Raimundo sempre ligava para ela, algumas vezes, fazendo ameaças.

Os vizinhos disseram para a Polícia Militar que o casal brigava com frequência durante o perído que permaneceu junto.

O caso está sendo apurado pela Polícia Civil. Até o momento, a suspeita é feminicídio.