Polícia

Polícia Civil de RO libera PF suspeito de matar ex-mulher com socos no rosto e tórax

O delegado plantonista da Central de Flagrantes da Polícia Civil em Porto Velho entendeu que não havia provas conclusivas contra o suspeito.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

quarta-feira, 04/08/2021 - 19:32 • Atualizado 20:37
Polícia Civil de RO libera PF suspeito de matar ex-mulher com socos no rosto e tórax
Vítima Rosilene Chaves Oliveira - Foto: Reprodução Facebook

O Polícial Federal aposentado Raimundo T. A. N., 56 anos, foi solto pelo delegado plantonista da Delegacia Central de Flagrantes da Polícia Civil em Porto Velho na tarde desta quarta-feira (4).

A alegação da soltura é porque o resultado do exame do Instituto Médico Legal (IML), no corpo de Rosilene Chaves Oliveira, 46 anos, apresentou resultado inconclusivo.

Segundo a Polícia, não havia provas testemunhais de que a morte de Rosilene foi provocada pelo Policial Federal, apesar do Boletim de Ocorrência da PM citar que vizinhos viram a agressão.

De acordo com informações obtidas, o laudo não conseguiu concluir que as lesões encontradas no corpo teriam sido a causa da morte da vítima, apesar do médico do Samu que atendeu a ocorrência levantar a suspeita.

Exames complementares foram pedidos, mas,  pretensamente, por causa da demora na entrega dos resultados, o delegado plantonista preferiu optar pela soltura do ex-escrivão da PF.

O site Rondoniaja.com não conseguiu até o momento saber se o delegado responsável pediu para o Sevic da Delegacia Central de Polícia ir até o local falar com as testemunhas antes de soltar o suspeito por conta de decisão própria individual, ou mesmo se encaminhou o caso até a Delegacia de Homicídios, ou Delegacia de Crimes contra a Mulher, que é o praxe neste tipo de caso.

A morte mal explicada

A assistente social Rosilene Chaves de Oliveira, de 46 anos foi encontrada morta na casa do ex-marido, o escrivão da Polícia Federal aposentado Raimundo T. A. N., de 56 anos, que havia sido preso na madrugada desta quarta-feira (4) pela Polícia Militar.

De acordo com a ocorrência policial, a PM foi acionada por duas pessoas que viram a vítima caída na varanda de uma casa na Av. Calama, no bairro Aponiã, zona leste de Porto Velho.

Quando a PM chegou viu o policial federal aposentado por cima da ex-esposa, batendo com força no peito dela. Os policiais relataram, na ocorrência, que o suspeito estava com visíveis sinais de embriaguês e a vítima já morta.

O suspeito disse aos policiais militares que o casal tinha marcado um encontro para reatar o relacionamento e que ambos faziam sexo, quando a mulher teve um mal súbito e assim, teria iniciado procedimentos de massagens cardíacas.

Mas, testemunhas garantiram à PM que Raimundo agrediu a ex-mulher com força excessiva, dando vários socos no peito e tapas no rosto.

O Samu, quando chegou, confirmou a morte da vítima e o médico falou sobre a suspeita de que Rosilene teria morrido por causa das agressões. A perícia criminal confirmou que a mulher tinha lesões no peito e no rosto.

Rosilene Chaves de Oliveira – Foto: Reprodução Facebook

A suposta reconciliação e as ameaças

O policial federal aposentado recebeu voz de prisão e mostrou à PM onde estava guardada no quarto uma pistola, com carregadores e 49 munições.

Segundo o suspeito, ele estava separado da vítima há um ano e estaria tentando a reconciliação com Rosilene.

A vítima tinha uma medida protetiva ainda em vigor concedida pelo 1º Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, em 20 de junho de 2020, que também determinava a suspensão do porte de arma de fogo do escrivão aposentado da Polícia Federal.

Rosilene e o policial federal permaneceram juntos por cerca de 25 anos. No ano passado se separaram, mas, amigos afirmaram que Raimundo sempre ligava para ela, algumas vezes, fazendo ameaças.

De acordo com o B.O. lavrado pela PM, os vizinhos disseram para a Polícia Militar que o casal brigava com frequência durante o período que permaneceu junto.