Polícia

Cerca de R$ 114 mil somem de contas públicas e Prefeitura alega ‘ataque hacker’

Foram realizadas 6 transferências via TED de contas da Prefeitura, vinculadas à Caixa Econômica Federal.

Por Redação Rondônia Já

quinta-feira, 12/08/2021 - 15:42 • Atualizado 16:36
Cerca de R$ 114 mil somem de contas públicas e Prefeitura alega ‘ataque hacker’
Prefeitura de Santa Cruz do Xingu alega que ataque hacker desviou dinheiro público - Foto: divulgação

Cerca de R$ 114 mil ‘desapareceram’ das contas da Prefeitura de Santa Cruz do Xingu, a 1083km de Cuiabá (MT) no mês de julho. A prefeita municipal, Joraildes Soares de Sousa (PSD) afirmou que o valor foi desviado em um ‘ataque hacker’. Como resposta, os vereadores do município entraram com um requerimento pedindo esclarecimentos.

Segundo o advogado Alex Abreu, consultor jurídico da Prefeitura, foram realizadas seis transferências via TED no dia 8 de julho nos seguintes valores:

– R$ 8.650,00 – 
– R$ 9.857,89 – 
– R$ 11.241,12 – 
– R$ 29.854,12 – 
– R$ 24.587,45 –
– R$ 29.789,78 – 

A Prefeitura, no entanto, só identificou as transferências quando realizou o levantamento no final do mês. O dinheiro foi retirado de contas do setor de convênios federais. “A gente entrou em contato com a unidade bancária, eles forneceram os extratos, tinha o destinatário para quem foi repassado e o responsável pelo setor das movimentações falou que o computador estava estranho nos últimos dias. A gente chamou a polícia e identificamos que supostamente fomos vítimas de hackers ou alguma situação que invadiu o sistema interno bancário e clonou as senhas”, explicou o advogado.

Até o momento, a Prefeitura já entrou em contato com a Caixa Econômica, que abriu uma sindicância para identificar como e porque as transferências foram realizadas sem o aval da agência bancária. Também foi feito um Boletim de Ocorrência e o computador foi levado para ser periciado pela Polícia. A pessoa responsável pelas transferências também já prestou depoimentos.

Na sessão da última sexta-feira (6), os vereadores entraram com o requerimento e reclamaram do fato de o Legislativo não ter sido informado do ataque, que teria acontecido ainda no início do mês de julho. “Agora o trem ficou feio mesmo viu? Porque agora inventaram até o tal do hacker , entra, cata  dinheiro e vai embora. E um cara desse acertar uma senha particular é difícil, imagine quando acerta duas? Um cara desse se jogar na Mega Sena pega o primeiro prêmio. Fizemos esse requerimento, peço aos demais vereadores que ajude, que aprove para que a prefeita municipal, juntamente com o secretário de administração traga mais transparência neste caso, porque a função do vereador é essa mesmo, ser chato, cobrar, fiscalizar e tentar achar onde está esse erro”, afirmou o vereador autor do requerimento Fernando Luis Da Costa (PODE).

Segundo informações, o dinheiro teria sido transferido das contas da Prefeitura para outras, somando mais de R$ 113 mil. “Fiquei sabendo por terceiros. Nós que somos vereadores, vereador Fernando, Adriano, Liliane, que assinaram com a gente e estão procurando o que houve, querendo saber, acho que a gestão deveria passar para nós o fato acontecido, não deixar chegar pela boca de terceiros. Porque isso está escondido? Se foi um hacker, tem que vir à tona, nós temos que saber, porque depois o ferro sobra para nós vereadores também”, questionou o vereador Ailton Martins (PSDB).

A Prefeitura afirmou que, assim que tiver as respostas do banco, enviará um relatório à Câmara. Eles têm quinze dias do prazo regimental para responder ao legislativo.

A Polícia Judiciária Civil (PJC) se manifestou por meio de nota:

A Polícia Civil comunica que foi acionada dos fatos e após análise do procedimento foi verificado se tratar de situação de competência da Polícia Federal. Diante disso, o inquérito policial será encaminhado para a unidade da Polícia Federal de Barra do Garças.

Leia também a nota da Prefeitura:

No dia 27/07/2021 realizando a conferências das contas de convênio da Secretária de Saúde, momento em que foi  foi identificado que no dia 08/07/2021 houve várias retiradas de várias contas bancárias, relacionados a diversos convênios, perfazendo o valor de R$ 113.980,36.

Como as retiradas foram todas através de TED, foi possível identificar os destinatários que receberam os valores, como não tem nenhum contrato com o município, acredita-se que foi vítima de hackers, os quais fraudaram o sistema de segurança da conta corrente das contas bancárias.

– R$ 8.650,00 –
– R$ 9.857,89 –
– R$ 11.241,12 –
– R$ 29.854,12 –
– R$ 24.587,45 –
– R$ 29.789,78 –

Ao tomar conhecimento a Secretária de Saúde imediatamente encaminhou ofício a Prefeita Jô, onde a mesma, já solicitou que fosse realizado a comunicação a autoridade policial, como também ao gerente da agência da Caixa Econômica Federal.

“Estamos aguardando a análise do setor interno do banco (CEF), como também o desenrolar das investigações policial. Em contrapartida o município está comunicando as autoridades que encaminharam os recursos (convênios), será encaminhado uma nota à Câmara Municipal com toda a documentação, a fim que seja dado clareza no que ocorreu, como também deixar claro aos municípes que todas as medidas necessárias estão sendo tomadas para que busque apurar o que houve e responsabilize os envolvidos.”

Fonte: Olhar Direto