Polícia

Confirmada presença de cocaína em Rosilene, encontrada morta na casa de ex-marido

O resultado do exame de sangue de Rosilene ainda não é suficiente para determinar a causa da morte.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

sexta-feira, 20/08/2021 - 19:08 • Atualizado 21/08/2021 - 15:51
Confirmada presença de cocaína em Rosilene, encontrada morta na casa de ex-marido
Rosilene Chaves de Oliveira - Foto: Reprodução Facebook

O diretor da Polícia Técnica Científica de Rondônia, Domingos Sávio, divulgou nesta sexta-feira (20) o resultado do exame químico-toxicológico das amostras colhidas no corpo de Rosilene Chaves de Oliveira, de 46 anos. O laudo apontou a presença de cocaína e um antidepressivo de nome amitriptilina no sangue da vítima.

O resultado vai ser juntado às conclusões de outros exames que são aguardados para conseguir saber a causa exata da morte de Rosilene.

No dia da morte dela, a perícia recolheu resquícios de cocaína em um saquinho transparente.

A morte da vítima

Rosilene Chaves de Oliveira, de 46 anos foi encontrada morta na casa do ex-marido, o escrivão da Polícia Federal aposentado Raimundo Teles, de 56 anos, na madrugada do dia 04 de agosto.

De acordo com a ocorrência policial, a PM foi acionada por duas pessoas que viram a vítima totalmente nua caída na varanda de uma casa na Av. Calama, no bairro Aponiã, zona leste de Porto Velho.

Quando a PM chegou viu o policial federal aposentado por cima da ex-esposa, batendo com força no peito dela. Os policiais relataram, na ocorrência, que o suspeito estava com visíveis sinais de embriaguês e a vítima já morta.

O suspeito disse aos policiais militares que o casal tinha marcado um encontro para reatar o relacionamento e que ambos faziam sexo, quando a mulher teve um mal súbito e assim, teria iniciado procedimentos de massagens cardíacas.

Mas, testemunhas garantiram à PM que Raimundo agrediu a ex-mulher com força excessiva, dando vários socos no peito e tapas no rosto.

O Samu, quando chegou, confirmou a morte da vítima e o médico falou sobre a suspeita de que Rosilene teria morrido por causa das agressões. A perícia criminal confirmou que a mulher tinha lesões no peito e no rosto.

O policial federal informou no dia do ocorrido que as lesões em seu corpo da mulher foram causadas pela massagem cardíaca.

Reconstituição da morte de Rosilene – Foto: Ana Késia Gomes

Reconstituição da morte

Na última quarta-feira (18) o policial federal participou da reconstituição da morte de Rosilene na residência dele.

Durante a reprodução simulada na casa, que durou 3 horas, o PF aposentado Raimundo Teles demonstrou e narrou o que teria ocorrido na noite em que Rosilene foi achada morta.

Porém, em certo momento, o homem entrou em contradição em relação ao primeiro depoimento dado na Central de Polícia e o segundo depoimento, já na delegacia de Homicídios.

A delegada responsável pelo caso, Leisaloma Carvalho, falou que ainda não vai revelar qual contradição para não atrapalhar o andamento da investigação.

A Delegacia Especializada em Crimes Contra a Vida (DECCV) segue nas investigações do caso.