Política

Motociata em Manaus é mantida mesmo sem a presença de Bolsonaro e denúncia ao MP

Sete partidos pediram ao Ministério Público do Amazonas que investigue o uso de recursos públicos na motociata.

Por Redação Rondônia Já

quinta-feira, 15/07/2021 - 19:17 • Atualizado 16/07/2021 - 13:29
Motociata em Manaus é mantida mesmo sem a presença de Bolsonaro e denúncia ao MP
Motociata de Bolsonaro - Foto: Divulgação

O Movimento Conservador Amazonas, organizador da “motociata” anunciou que vai manter o evento, mesmo sem a presença do presidente Jair Bolsonaro.

A motociata está marcada para o próximo sábado (17) das 08h às 12h com saída próxima ao Sipam de Manaus. Em post numa rede social, os organizadores informaram que vão manter o evento para homenagear Bolsonaro.

Antes do anúncio, o filho 02, Eduardo Bolsonaro, em vídeo postado num grupo de Telegram anunciou que seu pai não compareceria ao evento.

Internado desde quarta-feira em São Paulo, por obstrução intestinal, o presidente Jair Bolsonaro cancelou uma viagem que faria para Manaus, no fim de semana, e também não fará sua tradicional transmissão ao vivo em redes sociais, realizadas sempre às quintas-feiras.

Segundo avaliação da equipe médica, Jair Bolsonaro não necessita de cirurgia, mas, continua sob observação, sem previsão de alta.

A motociata e o juiz

O juiz Ronnie Frank Torres Stone rejeitou liminar para impedir que a Prefeitura de Manaus empregasse recursos públicos na organização da motociata.

Na ação, feita pelo delegado João Tayah, é apontado que o evento tem objetivos eleitoreiros e que portanto seria ilegal o emprego de dinheiro público para tal.

Mas, para o magistrado, é obrigação da prefeitura empregar verba pública para manifestações políticas. O juiz ainda considerou que a ação proposta pelo delegado é que teria ¨conteúdo ideológico” porque Tayah é ex-candidato a vereador pelo PT.

O delegado disse que pretende recorrer ao Tribunal de Justiça do Amazonas.

A Prefeitura de Manaus não divulgou quanto irá gastar com o evento, mas, dará apoio com água, banheiro químico e mobilidade, por meio de toda a estrutura municipal.

Sete partidos de oposição protocolaram ação no Ministério Público do Amazonas para apurar a utilização de recursos públicos no evento político.