Política

Deputado sugere luta entre Cyborg e vice-governador suspeito de agredir mulher

O post do deputado do PT Valdir Barranco foi feito para chamar atenção sobre acusação de agressão contra mulher.

Por Marcelo Winter - Rondônia Já

quarta-feira, 04/08/2021 - 17:37 • Atualizado 05/08/2021 - 17:02
Deputado sugere luta entre Cyborg e vice-governador suspeito de agredir mulher
Otaviano Pivetta X Cris Cyborg - Foto: Reprodução Instagram

O deputado estadual Valdir Barranco (PT) provocou no Instagram o vice-governador do Mato Grosso, Otaviano Pivetta (sem partido), que é suspeito de agredir a própria esposa, a advogada Viviane Cristina Kawamoto.

No post, o parlamentar diz o seguinte:

“Após saber que o DJ Ivis havia agredido a esposa, Pamella Holanda, a lutadora consagrada de MMA, @criscyborg desafiou o Dj para ir bater nela.
Será que se ela desafiasse o vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta, ele toparia?”

A publicação irônica é porque no mês passado, a consagrada lutadora de MMA Cris Cyborg também postou um convite irônico desafiando o DJ Ivis para uma luta. O desafio de Cyborg foi após o produtor musical e DJ ser flagrado em vídeo agredindo a esposa, Pamella Holanda, dentro de um apartamento.

Post de Valdir Barranco – Foto: Reprodução Instagram

A suposta agressão de Pivetta contra a mulher

A advogada Viviane Cristina Kawamoto Pivetta, 36, esposa do vice-governador Otaviano Pivetta, 62 (sem partido), acusa o marido de tê-la agredido em Itapema, município de Santa Catarina, durante uma viagem do casal no dia 7 de julho deste ano.

Na ocasião, Viviane chamou a Polícia Militar de Santa Catarina, e relatou que o vice-governador havia lhe agredido e batido algumas vezes com sua cabeça no sofá. “Que a mesma mostrou aos policiais marcas de vermelhidão em seu rosto, pernas e braço gerado pelas agressões”, diz trecho da ocorrência.

Ainda de acordo com o relato, Otaviano afirmou que sua esposa mordeu sua mão, mas que em nenhum momento a agrediu.

O casal foi até a delegacia visto se tratar de ocorrência de suspeita de violência doméstica. Um laudo foi solicitado.

Laudo

O laudo feito pelo Corpo de Bombeiros de Santa Catarina diz que, no dia da suposta agressão,  Viviane Kawamoto estava consciente, orientada e com sinais vitais normais. Relatou dores na região da cabeça, lábios, braços e pernas.

“Na avaliação secundária foram observadas escoriações e edemas na região do crânio, braços, no dedo anelar esquerdo, coxa esquerda, lábios e na região distal anterior da coxa esquerda”, diz trecho.

O documento também revela que Otaviano Pivetta foi atendido pelos Bombeiros, que estava no dia com a pressão arterial alterada. Segundo o laudo, o vice-governador tinha escoriações no pescoço, tórax, costas, mão esquerda e ‘bolsa escrotal lado direito’.

O laudo foi solicitado porque Viviane se recusou a realizar o exame no Instituto Médico Legal (IML) em Balneário Camboriú, cidade localizada a 12 quilômetros de distância.

Durante a ocorrência em Santa Catarina, o vice-governador do Mato Grosso foi detido e precisou pagar fiança de seis salários mínimos para deixar a delegacia. Ele foi indiciado por crime de lesão corporal leve e o inquérito se encontra no Fórum Criminal de Itapema.

Otaviano Pivetta e Viviane Cristina Kawamoto Pivetta – Foto: Reprodução

Desdobramentos

Viviane disse ao Portal Gazeta Digital (MT) que tem juntado provas que comprovam as agressões sofridas no início do mês passado, mas que também anexará provas de outras agressões. Ambos estão casados desde 2019.

A advogada ainda afirma que, após a divulgação da suposta agressão feita pelo marido, ela e Pivetta tentaram reatar o casamento. Porém, segundo Viviane, essa possibilidade foi anulada e não tem mais volta por conta da interferência de ‘terceiros’.

A advogada chegou a gravar e publicar um vídeo na semana passada desmentindo a agressão, mas, alegou que foi forçada psicologicamente à fazer a gravação. VEJA O VÍDEO ABAIXO:

Texto do Rondoniaja.com produzido com informações do Portal Gazeta Digital (MT)