Política

Presidente da Fundação Palmares diz que irá processar Martinho da Vila por racismo

O sambista e ex- militar Martinho da Vila chamou Sérgio Camargo de ‘preto de alma branca’ no programa Roda Viva.

Por Redação Rondônia Já

terça-feira, 17/08/2021 - 20:11 • Atualizado 19/08/2021 - 14:54
Presidente da Fundação Palmares diz que irá processar Martinho da Vila por racismo
Presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, e Jair Bolsonaro - Foto: divulgação

O presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, 56 anos, afirmou, pelas redes sociais, que entrará com uma ação contra o cantor Martinho da Vila, 83 anos, pedindo danos morais, após o sambista tê-lo criticado durante entrevista ao programa Roda Viva, nesta segunda-feira (16).

Durante o programa, Martinho criticou os rumos da fundação, que teria sido “criada para tratar dos assuntos da cultura negra”, mas que agora é comandada por “Camargo, bolsonarista radical”. “Ele é um preto de alma branca, como se diz”, continuou. “No duro, ele gostaria de ser branco. Ele acha que ele é branco. Ele se sente branco. E ‘tem que acabar com essas coisas todas de preto”.

Camargo afirma que Martinho da Vila feriu sua honra e, ao exibir o trecho da petição com que pretende acionar a Justiça, ele destaca uma suposta frase do ator Morgan Freeman, na qual o artista descartaria a importância de uma consciência negra —ou branca, ou amarela— em favor de uma consciência humana capaz de acabar com o racismo.

“Na epígrafe da ação, o ensinamento de Morgan Freeman, que pretos racistas da esquerda precisam aprender”, diz Camargo no post.

A frase, que já foi postada por Camargo em outras ocasiões nas redes sociais e costuma vir à tona nos Dia da Consciência Negra, em perfis de direita, não foi dita exatamente com essas palavras por Freeman. A declaração do ator remete a uma entrevista que ele concedeu em 2006 a Mike Wallace, no 60 Minutos, da CBS.

Questionado pelo jornalista sobre o Mês da História Negra —que acontece em outubro nos Estados Unidos—, o ator classificou a comemoração como “ridícula”, questionando sua restrição a um mês. “A história negra é a história americana”, disse. Ele diz, então, que imagina o fim do racismo atrelado ao fim de apontamentos sobre o tema, como a diferenciação entre homens negros e brancos. “Não se fala , olha, aquele homem branco chamado Mike Wallace!'”.

Na postagem, Camargo ainda afirma que a ação indenizatória deve ser protocolada nesta quarta-feira (18) na Justiça Cível e que ingressará também com outra ação, na esfera criminal, ainda nesta semana, contra Martinho pelo que chama de crime de racismo.

Fonte: Folha de São Paulo